Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sentir coisas

por Rui Passos Rocha, em 14.08.13
Um banho de imersão e isso passa-te.

 

Quero agradecer publicamente a quem, da candidatura de Fernando Seara, tentou que o slogan Sentir Lisboa fosse adaptado a todas as freguesias. Tenho a certeza de que alguém o propôs, a bem da uniformidade e poesia da coisa, tendo logo sido posto em sentido pelos colegas. Imagino uma cena ao estilo 12 Angry Men:

 

 

O primeiro a levantar-se - logo o mais fundamentalmente contra a proposta de que todos sentissem as suas freguesias - foi Vasco Morgado, que, quiçá não sem antes apalpar o rabo para se certificar de que tudo se mantivera intacto, exclamou: "Eu recuso-me a Sentir Santo António". É compreensível. Afinal o santinho é o famoso padroeiro de, entre outras, as pessoas que desejam encontrar objectos perdidos. Felizmente o Estabelecimento Prisional de Lisboa (aquele ali no topo do Parque Eduardo VII), onde muitos sabonetes são dados como desaparecidos, pertence à freguesia de Campolide. Logo a seguir a Vasco Morgado terá sido a vez, por motivo semelhante, de Paulo Quadrado (São Vicente) e Ricardo Crespo (São Domingos de Benfica). António Manuel, o candidato a Sentir Santa Maria Maior, poderá ter ficado indeciso, mas não dou certezas para não ganhar fama de desbocado. Por fim, desconheço o que terão sentido e feito Carlos Macedo (Beato) e Luís Madeira Carvalho (Misericórdia), mas todos sabemos até que ponto um fundamentalista religioso se pode abrir à mensagem divina.

 

Interessa-me sobretudo o caso de João Grave, o candidato à minha freguesia, Arroios. Trata-se do único candidato a querer sentir, no caso "uma pequena corrente de água", sendo este o significado que o meu dicionário dá a um arroio. Eu não tenho nada contra isso; só acho que não havia necessidade de o publicitar. Pessoalmente também tenho um gostinho particular em deitar a carcaça na água quente da banheira e sentir a leve corrente beijar todos os meus poros, mas até hoje, e juro pela minha mãezinha, não senti pulsão de o colocar em cartaz. Confesso que não sei também o papel que Isabel Pinto Pereira, a candidata da coligação ao Lumiar, terá em Sentir Arroios, dado o meu dicionário definir lumiar como tirar de um campo a água do Inverno. O que me deixa descansado é que Nuno Jordão (Ajuda), ainda que não tenha particular interesse em Sentir Ajuda, fosse isso o que fosse, quer Todos por uma Ajuda melhor. Acho que João Grave vai precisar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:47


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






Pesquisar

Pesquisar no Blog