Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Canção de engate

por Rui Passos Rocha, em 29.07.13

Ó Tiago, Tiaguinho, vá lá, não faças isso. Perdes tanto tempo a discutir com a Maria Teixeira Alves que não te apercebes de que já lhe conquistaste a desindiferença. Eu sei que a palavra não existe, calma. Mas a desindiferença é o passo fundamental. A partir de agora será sempre a subir - se ao cimo dela e só para a sentir, como cantava Manuela Moura Guedes, vocês lá verão. Digo-te com franqueza: às vezes no silêncio da noite eu fico a imaginar-vos aos dois. E é lindo prever o brilhozinho nos olhos dela quando tu lhe disseres vem que amor não é o tempo, nem é o tempo que o faz; vem que amor é o momento em que eu me dou, em que te dás. Homem, ela vai cair-te aos pés. Ainda mais se lhe disseres que não te importas com o quão intempestiva é. Diz-lhe algo deste género: acredito e entendo que a estabilidade lógica de quem não quer explodir faça bem ao escudo que és. Tal como tu, como eu, como todos, ela resiste a ir viver no bairro do amor, onde cada um tem de tratar das suas nódoas negras sentimentais. A tua tarefa é assegurar-lhe de que não há nada a temer. Mas não tenhas dúvidas de que toda a virulência dela contra a tua suposta homossexualidade, a que respondeste sugerindo que ela possa preferir Vénus a Marte, é apenas a carapaça que a protege de se desvendar: ela quer que o teu paletó enlace o seu vestido, como canta o Chico Buarque. Ela quer que um dia lhe dediques a tua obra-prima, assim ao estilo de Saramago para Pilar: "À Maria, como se dissesse água". Nota que poderias ter em mãos uma preciosidade: para além de não ser, tanto quanto pude imagegooglar, nada despiciendo, ela quer-te posto à prova: prova-lhe que não és gay, que ela provará que nada tem de lésbica, e nesta descoberta poderão até jogar um com o outro, se for coisa que vos excite, inverter os papéis até à exaustão. Já imaginaste a diversão? Esquece lá o progressismo por um bocado, ele não te vai aquecer os pés nas noites de inverno: leva-a a um amor egoísta e natural como um rio que segue o seu curso, como canta um tipo do país da bota. Com ela poderás não ter o que a todos enfada: um amor civilizado, com recibos e a cena do sofá, como canta outro senhor. Vai com ela que vais com Deus; talvez não tão figurativamente quanto quererias, mas vais. Haja paz e amor entre vós, sobretudo se devidamente documentados por uma câmara de filmar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:15


3 comentários

De Tiago Moreira Ramalho a 30.07.2013 às 00:00

Eheheheh. De forma algo chocante, consegues ser bem mais porco que eu.

De Tiago Moreira Ramalho a 30.07.2013 às 00:02

Mas acho que a decência obriga a que larguemos a boa Maria. Estamos a ficar arrastados para o profano. O espírito, o espírito! Senão, o corpo é que paga.

De Rui Passos Rocha a 30.07.2013 às 00:02

Mas eu falo muito a sério: acho que podeis canalizar essa energia toda de outra forma :)

Comentar post






Pesquisar

Pesquisar no Blog