Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Matemáticas gerais

por Frederico V Gama, em 19.04.13

Pessoalmente, acho que os programas escolares não deviam ser mexidos durante vinte anos, a não ser que descubram um novo planeta entre a Terra e Marte, mas a alteração do currículo de Matemática no 1º ciclo deixa-me perplexo. Escreve o Público que “a notícia” (Anúncio de novo programa de Matemática no 1º ciclo) “foi recebida com enorme surpresa por estas professoras [Associação Nacional de Professores de Matemática] e também, presume-se, pelo resto da comunidade educativa”. Eu cito outra vez: "e também, presume-se, pelo resto da comunidade educativa." O Público, esse jornal maravilhoso e de causas, presume que houve escândalo — não conferiu, mas presume, o que é suficiente. ("–Idalina, estou aqui a fazer a primeira página, sabes quantas pessoas morreram em Boston?" "–Aí umas três, presumo." "Tens a certeza ou presumes?" "Presumo, Alcipe." "É quanto basta. Três, é isso? E quanto ao programa de matemática, como estão a ser as reacções?" "Presumo que ande toda a gente fodida nas capitais de distrito." "É assim mesmo.") Para melhorar a coisa, a jornalista transcreve a afirmação (de uma das senhoras da ANPM) de que se trata de "um ministro que não é sequer matemático e sim economista". O Público, esse jornal maravilhoso e deontológico, sabia que Nuno Crato fez o mestrado em Métodos Matemáticos e um doutoramento (nos EUA) em Matemática Aplicada, é professor catedrático de Matemática e Estatística e foi presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática. Sabia, mas não esteve para se maçar. ("Ó Idalina! Mas o Crato não é matemático?" "É, Alcipe. Mas as professoras dizem que não.") Que as senhoras professoras temam um programa em que os meninos tenham de saber a tabuada, isso já pia mais fino, porque é uma violência inusitada cometida sobre aqueles pobres seres que sabem manejar seis modelos diferentes de telemóvel mas não conseguem fazer uma soma de três parcelas. É o que eles fazem no 1.º ciclo. Eu sou contra as mudanças nos programas escolares durante cerca de trinta anos (acabo de prolongar um pouco a moratória), mas se for para impedir que se ensinem "matemáticas alternativas" com calculadora acoplada e, nessas idades, se insista nas "aprendizagens baseadas na mecanização de procedimentos e rotinas" em matemática, estou disposto a ponderar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:37


4 comentários

De Texticulos a 19.04.2013 às 16:38

Para quaisquer quatro números de Fibonacci consecutivos a, b​​, c e d, ad e 2bc formam os lados de um triângulo de Pitágoras e cd-ab a hipotenusa.

De Anónimo a 19.04.2013 às 20:07

Dêem-se ao trabalho de ver, apenas, como, nos últimos anos, esses idiotas alteraram o algoritmo da subtracção (e eu desafio qualquer engenheiro dos verdadeiros, que não de Domingo, a fazer por esse "novo" método, não posicional, 3215-987,5 para perceber do que se fala) e vão ver se aqueles programas não são todos para deitar ao lixo.

Esses professores sobre isto (e tudo o mais que tal) estiveram calados. Tachistas não faltam neste país. Sacrificar os alunos, como foi feito nos últimos anos (e vão ver os disparates da tlebs no português - há um livrinho que custa 3,5€ no Pingo Doce e é elucidativo) não os incomoda. As pessoas não são santos, mas promover canalhas destrói-nos a todos.

E o público, o falido público, só está aberto, apesar de ninguém o ler, porque é o "imposto revolucionário" que o Belmiro paga à esquerdalhada para não ser incomodado nas suas outras empresas.

De maria a 20.04.2013 às 23:41

Caro anónimo
Sou professora.Concordo consigo. Nem todos os professores concordam com os programas dos últimos anos.Somos milhares em desacordo com programas de treta.

De Vasco Gama a 13.05.2013 às 23:46

Que comentário este. Para falar do programa fala-se de quê? Claro que o programa deixou toda a gente surpreendida. Os algoritmos e as tabuadas sempre estiveram nos programas. Mas agora apareceu muito mais. Leiam o programa e tentem imaginar o que é aprender logo na primeira classe da primária:

"Verificar que dois conjuntos têm o mesmo número de elementos ou determinar qual dos dois é mais numeroso utilizando correspondências um a um."

"Associar pela contagem diferentes conjuntos ao mesmo número natural, o conjunto vazio ao número zero e reconhecer que um conjunto tem menor número de elementos que outro se o resultado da contagem do primeiro for anterior, na ordem natural, ao resultado da contagem do segundo."

"Utilizar o termo «ponto» para identificar a posição de um objeto de dimensões desprezáveis e efetuar e reconhecer representações de pontos alinhados e não alinhados"

"Identificar figuras geométricas como «geometricamente iguais», ou simplesmente «iguais», quando podem ser levadas a ocupar a mesma região do espaço por deslocamentos rígidos"

"Saber que duas figuras equidecomponíveis têm a mesma área e designá-las por figuras «equivalentes»."

"Utilizar corretamente os termos «conjunto», «elemento» e as expressões «pertence ao conjunto», «não pertence ao conjunto» e «cardinal do conjunto»."

Comentar post






Pesquisar

Pesquisar no Blog